Hoje vamos conversar com o coordenador de Arquitetura e Urbanismo, Rodolfo Marques Sastre, da Universidade Positivo.

O campo da Arquitetura e do Urbanismo tem diversas escalas desde a Arquitetura de Interiores, passando pelo Projeto da Edificação, até Projetos Paisagísticos e Urbanísticos. Essa abrangência da área faz com que sempre tenhamos algum setor mais aquecido do que outro, dependendo muito dos humores do mercado. Se temos um ambiente de confiança e retomada da construção civil, o setor de Projetos Arquitetônicos acompanha. Os períodos de revisão de Planos Diretores dos Municípios, ou investimentos públicos na melhora das cidades, acabam aquecendo a área de Urbanismo, e até mesmo durante a pandemia, quando verificamos um grande aumento da Arquitetura de Interiores, quando as pessoas resolveram melhorar os seus espaços devido à permanência maior e adaptação para o Home Office.

Por conta de tamanha abrangência, pergunto sobre a carência dos profissionais de hoje, e Rodolfo responde: “Acho que o principal seria a visão de contexto com olhar focado no cliente e na resolução de problemas, oferecendo, assim, uma solução projetual mais plena e integrada com os objetivos desse cliente. Talvez isso seja uma busca de todas as áreas, mas fica mais evidente em Arquitetura e do Urbanismo, pois o profissional tem que lidar com questões financeiras, ambientais, urbanas, paisagísticas, de conforto térmico, acústico e lumínico, encontrar soluções técnicas adequadas, tratar com marcas, ambiências, gostos dos clientes/público-alvo, etc. Ou seja, qualquer decisão arquitetônica ou urbanística precisa equilibrar uma série de fatores para que nenhum deles fique prejudicado e prejudique o meio ambiente. Por isso, o profissional da nossa área tem que possuir uma ótima leitura de contextos.

Para concluir, questiono o que potencializa o curso de Arquitetura e do Urbanismo da Universidade Positivo, e o coordenador afirma: “No ano passado comemoramos 20 anos, e isso nos traz uma excelente experiência tanto da formação que entregamos quanto do que o mercado necessita. Além disso, também nos propicia uma grande interação entre as disciplinas, seja verticalmente (entre os períodos) ou horizontalmente (entre as matérias do mesmo período). Ou seja, nada funciona isoladamente no curso, todas as disciplinas e professores envolvidos interagem o tempo todo para oferecer a melhor formação possível.”

“Outra questão importante é que nosso corpo docente é formado 100% com mestres e doutores, o que nos traz uma sólida experiência acadêmica aliada à experiência profissional, pois nossos professores também são atuantes em todas as escalas do ambiente construído: Interiores, Projeto de Edificação, Urbanismo, Paisagismo, etc. Os espaços de ensino também nos trazem um excelente diferencial”, complementa o professor.

Para concluir, Rodolfo fala sobre outros diferenciais do curso: “Temos ateliês (salas para as atividades práticas) completamente abertos, separados apenas por biombos móveis. Isso permite que várias disciplinas ocorram no mesmo espaço, melhorando assim a interação entre as turmas, conteúdos e entre os próprios alunos. Uma experiência que iniciou em 2019 e melhorou muito o ambiente e a qualidade dos trabalhos dos alunos. Em suma, criatividade acontece com o contato, com as trocas, e isso foi potencializado, pois na nossa área é um fator fundamental. Por fim, a aceitação de nossos alunos e ex-alunos no mercado também é outro diferencial.”

PATROCÍNIO:

Por Thiago Barros

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here