A conversa desta vez foi com a Maria Zaclis, coordenadora de jornalismo da Universidade Positivo. O jornalismo forma profissionais capazes de produzir notícias para meios de comunicação, como jornais, revistas, rádio, TV e internet. Para isso, o estudante deve aprender a investigar, compreender, narrar e informar sobre acontecimentos, fatos ou situações que dizem respeito à sociedade.

Perguntei para a coordenadora como está o meio do jornalismo hoje. “Diferente do passado, o campo de atuação do jornalista ampliou. Partiu daquilo que no imaginário das pessoas era o tradicional, como as redações, rádio e TV, e tomou uma dimensão maior dentro das empresas e instituições. Podemos encontrar jornalistas trabalhando em grandes corporações, fazendo assessoria para as empresas, em agências, em instituições, em startups ou empreendendo projetos próprios na área. A atuação pode ser em campos diversos como esporte, cultura, economia, moda, etc.”, diz Zaclis.

Questionada sobre a atual carência dos profissionais, Zaclis responde: “Acredito que a principal carência está relacionada ao domínio de algumas tecnologias e também à compreensão de que o jornalismo exige trabalhos interdisciplinares. Em uma era em que existe uma quantidade muito grande de fake news e de redes de desinformação, o jornalismo profissional é fundamental na apuração e checagem correta dos fatos e é importante até mesmo para desmentir boatos que surgem na sociedade. Outra carência está relacionada às mudanças muito rápidas que acontecem no mercado. O profissional precisa ser interdisciplinar, ter capacidade de trabalhar com profissionais de outras áreas, além de compreender que a lógica de trabalho se transforma de forma muito rápida e que a todo momento surgem tecnologias e formatos de produção e distribuição de conteúdo que quem se forma no curso de jornalismo da UP vai ter capacidade de se adaptar. Falta, também, segurança e conhecimento para empreender, e o curso procura, pelas experiências técnicas e reflexões humanísticas, apontar os caminhos dessa conquista de um lugar ao sol na comunicação.”

Para finalizar, quis saber mais sobre o curso de jornalismo da Universidade Positivo, o que o potencializa. “Temos um corpo docente bastante comprometido com o jornalismo e o ensino. Nosso diferencial são as atividades dentro da nossa rede de comunicação, que permitem ao aluno colocar em prática seu conhecimento, como as grandes coberturas de eventos, como eleições, festivais e manifestações. Temos algumas parcerias importantes com veículos de comunicação estaduais e nacionais, como o Canal Futura. Isso permite que o estudante crie um portfólio consistente antes mesmo de se formar. Há estímulo empreendedor para produção e financiamento de produtos jornalísticos, como livros, docs e sites. O curso de jornalismo da UP também permite aos estudantes participarem de produções atuando em reportagens, programas e documentários, da produção aos registros na Ancine, o que proporciona experiências reais, realizadas dentro da graduação”, conclui a coordenadora.

PATROCÍNIO

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here